A maneira SMART de escrever objetivos

Seja profissionalmente ou pessoalmente, todo mundo já passou pela situação de precisar escrever objetivos para o futuro. Às vezes, é a própria empresa que te pede para pontuar alguns objetivos para o desenvolvimento da sua carreira, outras vezes somos nós mesmos no final do ano escrevendo o que desejamos alcançar no ano que se aproxima. Mas agora eu te pergunto: você sabe escrever os seus objetivos? Tipo… escrever de uma forma que você vai conseguir dizer seguramente se você os alcançou ou não? Porque eu achava que sabia, até que percebi que existe uma maneira mais eficiente de fazer isso. Bora aprender a maneira SMART de escrever objetivos!

WTF is SMART – origem e significado

S.M.A.R.T é um acrônimo criado por George T. Doran, em 1981, em um artigo para a publicação Management Review. De acordo com ele, grande parte das companhias estadunidenses, na época, não tinham um processo efetivo de definição e planejamento de objetivos. E isso era um problema; afinal de contas, se sua organização não tem objetivos, como você pode alcançá-los? De acordo com George, ainda, “estabelecer objetivos e o desenvolvimentos de seus respectivos planos de ação são os passos mais críticos no processo de gerenciamento de uma empresa.”*

Nesse mesmo artigo, Doran nos apresenta o acrônimo SMART, com o objetivo de facilitar o processo de escrita de objetivos por parte das lideranças de uma companhia:

S - Specific | Específico

M - Measurable | Mensurável

A - Assignable | Atribuível

R - Realistic | Realista

T - Time | Tempo

Vamos explorar cada uma dessas letrinhas em breve! Antes, eu queria falar mais um pouquinho sobre o que encontrei de interessante no artigo original de Doran.

Diferença entre ‘goal’ e ‘objective’

No artigo “There’s a S.M.A.R.T. way to write management’s goals and objectives”, o autor descreve a diferença entre o que seria um goal (aqui livremente traduzido para meta) e o que seria um objective (objetivo). Pessoalmente, para mim, Olivia, é importante traçarmos os dois na hora de pensarmos em coisas que queremos alcançar.

Dentro de uma visão corporativa, um goal/meta representa as crenças e as filosofias de uma corporação, e geralmente estão descritos de forma continua e visando o longo prazo. Se formos enxergar esse conceito de forma mais pessoal, podemos pensar neles como aquelas metas que quase sempre escrevemos no final do ano. Nunca é algo muito específico ou com prazo de validade, é mais um desejo, uma intenção.

Alguns exemplos seriam:

[Corporativo] Conduzir todas as atividades corporativas com honestidade, integridade e imparcialidade.

[Pessoal] Aprender um novo idioma.

Enquanto os goals/metas são mais “abertos”, o objetive/objetivo é o que dá suporte quantitativo, assim como expressa de forma mais concreta o que se deseja. É onde começamos a fazer planos para alcançar as metas que nos propomos a alcançar: incluímos quantidades, custos, datas, justificativas, etc. Objetivos deixam as metas mais tangíveis.

Exemplos

[Corporativo] Até 31 de Dezembro de 2022, queremos desenvolver e implementar um sistema de inventário que visa reduzir os custos em cerca de $1M, com um custo que não exceda 200 horas de trabalho e $15K de investimentos.

[Pessoal] Durante 6 meses, escrever para os meus blogs durante 2h por semana, visando completar dois posts por mês.

Conquistar esse ano!

Entrando na sopa de letrinhas SMART

Para não ficar somente na teoria do que são as letrinhas do acrônimo, achei que seria interessante ir construindo passo a passo um objetivo aqui nesse post, conforme os conceitos fossem passando. Como não tenho experiência criando metas e/ou objetivos para empresas, vou ficar com a transformação da nossa meta lá de cima (aprender um novo idioma) em um objetivo SMART. Vamo junto?

S significa Específico (Specific)

Sempre que você for escrever um objetivo, seja para quem for, é necessário que você seja brutalmente específico no que você quer. Lá no dia 31 de dezembro, você anotou na primeira folha da sua agenda que queria aprender um novo idioma, certo? Agora já é dia 02 de janeiro e você precisa começar a correr atrás disso.

Então vamos lá: qual idioma você quer aprender? O que não falta no mundo são opções. Eu, pessoalmente, também gosto de, nessa fase, pensar o porquê de eu estar tomando essa decisão. E não pense que você precisa de uma razão super-racional: eu, por exemplo, decidi que ia aprender espanhol porque assisti La Casa de Papel e achei muito bonito o jeito que eles falavam. 😅

Vamos supor que você ainda não sabe inglês e decidiu que vai ser esse idioma que você vai aprender porque quer muito sair do Brasil e ir trabalhar na gringa. Seu objetivo, portanto, vai começar da seguinte maneira:

Aprender inglês para conseguir uma oportunidade de emprego no exterior.

Observação: eu não acho necessário detalhar onde você quer trabalhar, visto que aqui seu objetivo é focado no idioma. Mas sem problema se você quiser ser específico sobre isso também: “para conseguir uma oportunidade de emprego no Canadá/nos Estados Unidos/na Alemanha, etc

M significa Mensurável

É muito importante que você consiga quantificar seu objetivo, por mais abstrato que ele possa parecer. Se você não colocar um ponto limite, como você vai saber que chegou lá, ou que ao menos chegou perto? Como vai saber se precisa ajustar suas estratégias? Lembrando que, obviamente, você não precisa colocar um valor exatinho, mas pelo menos um mínimo, ou quem sabe um intervalo de valores, é interessante.

Na sua saga de buscar oportunidades de emprego no exterior, as vagas que se alinham com o que você quer pedem um inglês no nível intermediário. Logo, o seu valor “base” para saber que você alcançou seu objetivo é o nível de inglês B1:

Aprender inglês até, no mínimo, o nível B1, para conseguir uma oportunidade de emprego no exterior.

Se você quiser ser mais específico, você pode definir também como você vai medir esse progresso: através de um exame de proficiência, via os livros de uma escola de línguas, ou com uma prova de um professor particular… Você escolhe.

A significa Atribuível

Essa letrinha aqui se aplica mais em contextos corporativos, quando alguma liderança, por exemplo, precisa escrever objetivos que serão atribuídos para outras pessoas. Porém, aqui no nosso caso de um objetivo pessoal e/ou profissional, gosto de pensar que é aqui que vamos definir quem ou o quê vai nos ajudar no nosso objetivo.

Se vamos aprender inglês, temos diversas formas: aulas com professores particulares, escolas de idiomas, grupos de estudos, estudar sozinho… Logo, é interessante você decidir isso e já escrever no seu objetivo.

Lembrando que: é sempre possível alterar a estratégia caso não esteja funcionando! Se você está fazendo aulas em uma escola de idiomas, por exemplo, e percebe que não está avançando tanto quanto gostaria e que talvez um professor particular fosse melhor, sinta-se livre para mudar! A vida dá voltas e muitas vezes precisamos nos adaptar. Não tenha medo de rever seus objetivos e readequá-los para sua realidade atual.

Aprender inglês até, no mínimo, o nível B1, através de aulas na escola de idiomas XPTO, para conseguir uma oportunidade de emprego no exterior.

R significa Realista

Os objetivos que descrevemos devem ter um sweet spot: não devem ser fáceis demais, a ponto de não apresentarem desafios, mas também não devem ser impossíveis, assim você não se frustra. Não adianta nada você querer ir do zero to hero em pouco tempo porque isso simplesmente não funciona, não importa o quanto tentem vender essa estratégia pra você.

Já definimos que queremos aprender inglês e chegar no nível B1, certo? Bom, para chegar até lá seguindo a estratégia que já determinamos (através de aulas em escola de idiomas, precisamos definir uma frequência. Conhecendo a minha rotina, sei que consigo encaixar duas horas-aulas por semana dentro dela (lembre-se: não adianta deixar o desafio impossível, senão você só vai se frustrar).

Logo:

Aprender inglês até, no mínimo, o nível B1, através de duas horas-aulas na semana na escola de idiomas XPTO, para conseguir uma oportunidade de emprego no exterior.

Bora lá!

T significa Tempo

Todo objetivo precisa de uma data limite. Calma: essa data limite pode ser alterada, como qualquer uma das outras variáveis do nosso objetivo, caso seja necessário. Mas precisamos estipular um fim, uma linha de chegada, para conseguirmos definir se o nosso objetivo foi cumprido ou não. Mais uma vez, aqui, é necessário que sejamos realista com o que estamos tentando conseguir.

Não vai adiantar nada, por exemplo, eu desejar chegar o nível B1 de inglês com aulas duas vezes na semana em 3 meses. É muito improvável que você consiga cumprir com isso. Logo, precisamos de uma linha de chegada um pouco mais distante, porém que assegure que o caminho seja percorrível.

Aprender inglês até, no mínimo, o nível B1, com a data limite sendo meados do próximo ano, através de duas horas-aulas na semana na escola de idiomas XPTO, para conseguir uma oportunidade de emprego no exterior.

E, com isso, temos um objetivo escrito de forma SMART! Pode parecer um pouco trabalhoso no começo, visto que é uma maneira diferente de concatenar ideias, mas com prática pega-se o jeito rápido. E com isso, você terá objetivos não só escritos, como descritos e também planificados, prontos para entrarem em ação assim que possível.

Bora tentar?

Estou pronto!

* Tradução livre


📖 Links consultados

📕 There’s a S.M.A.R.T. way to write management’s goals and objectives – por George T. Doran

📘 Níveis de inglês – American & British Academy


📜 Posts relacionados

👩‍💻 Terapia em grupo – sobre criação de conteúdo

🉑 Minhas dicas para aprender novos idiomas


💌 Recadinhos

Gostou do texto? Tem algo a adicionar? Alguma crítica construtiva? Feedbacks? Sugestões? Pedidos? Fique à vontade para me contatar via email (oli.pmatt@gmail.com), Twitter (@oliviamattiazzo), LinkedIn (/oliviamattiazzo) ou pela caixa de comentários aqui embaixo! Vai ser um prazer conversar contigo! ✨

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.