Um banner roxo, com um desenho de uma mulher vestida de heroína com máscara e capa, com o título em branco: "2020 - credo, que delícia"

Meu 2020: credo, que delícia

Existem vários adjetivos que podemos usar para descrever o ano de 2020. Apesar de uma pandemia e todos os desafios e perrengues que ela trouxe, o meu ano, em particular, não foi de todo ruim. Geralmente, eu fazia uma lista de objetivos e metas para o ano, e em 2019 eu não fiz porque a minha vida estava um pouco… caótica demais. Mas, mesmo sem objetivos declarados, eu consegui cumprir algumas das metas que eu comumente me proponho a cada virada de ano. De todo o vocabulário que podemos utilizar para resumir esse ano, eu só consigo pensar em uma expressão: meu 2020 – credo, que delícia.

Um suricato virando para a tela com a frase "Say whaa?" aparecendo em roxo.
Yukê?!

Decidi fazer esse post com base na minha decisão geral para esse blog: documentar processos e conhecimentos. 2020 foi um ano difícil pra caramba para a maioria das pessoas: coronavírus, desemprego e layoff, lockdowns e quarentenas, planos cancelados, incertezas… Eu fui obviamente pega nesse turbilhão de coisas também. Lidar com tudo isso acontecendo não foi psicologicamente fácil, mesmo com todo o apoio que eu tive.

Mas, apesar de tudo isso, coisas boníssimas aconteceram. E às vezes eu sinto que falta o meu olhar para esse lado. Eu não quero ficar só lamentando 2020, mesmo ele tendo me dado plenos motivos para lamentar. Também quero olhar para tudo de especial que rolou e todas as mudanças positivas que aconteceram na minha vida. Logo, para não esquecer, vou eternizar isso aqui, nesse post. 2020 não foi só tristeza, foram muitas vitórias também. E que 2021 possa ser melhor (porque convenhamos, ninguém aguenta mais).

Um banner roxo, com um desenho de uma mulher sentada na frente de um computador, com o título em branco: "Estudos - já diria o ET Bilu: busquem conhecimento"

2020

Geralmente, a cada virada de ano, eu sempre coloco como objetivo estudar mais – e quantifico isso: fazer x cursos, assistir y palestras… Em 2019 eu larguei mão, porque ô aninho complicado também. Eu não tinha um espaço para estudar, meu computador estava respirando por aparelhos, os ônibus para ir e voltar do trabalho não me ajudavam durante a semana e todas as pessoas com a qual eu dividi apartamento também não me davam muita paz.

Aí veio um lockdown e eu ganhei o tempo que gastava com transporte público. E aí eu e meu companheiro conseguimos alugar um apartamento pra gente e veio a paz e o espaço que eu estava tanto precisando.

Com isso, eu cheguei na marca de 7 cursos da Alura concluídos até a presente data, além de um Bootcamp de Liderança Feminina, feito pela WoMakers Code, em parceria com a Microsoft. Eu fiquei realmente realizada ao ver esse número!

Esse ano eu decidi focar em aprofundar o meu C# e desenvolver o meu Javascript: fiz cursos de Entity Framework, TDD e WCF relacionados à tecnologia da Microsoft e dois cursos de Javascript avançado, com direito à aplicação de padrões de projeto e programação orientada à objetos. Aprendi muitíssimo! Você pode conferir a lista completa dos cursos que eu fiz (e seus respectivos certificados) no meu perfil no LinkedIn!

Além dos cursos de tecnologia, também fui estudar outras coisas que me encantam mas não estão relacionadas ao meu trabalho, como espanhol e música. O idioma eu estudo desde setembro de 2019 e segui com as aulas particulares até agora, chegando ao nível intermediário (de acordo com a minha professora). E quanto à música, comecei com aulas de violão e agora estou partindo para a guitarra, que sempre foi o meu sonho aprender!

Um garotinho asiático virando páginas de um livro, "pegando" o conhecimento com as mãos em concha e levando até à cabeça.

2021

Não sei o quanto de lockdown vamos ter em 2021, mas eu espero continuar com esse ritmo de estudos. Se eu conseguir fazer uns 6 cursos no ano, eu já fico muito feliz! Gostaria muito de seguir com o plano de 2020: me aprofundar em C# e em Javascript. Porém, também há outras tecnologias que eu também gostaria de explorar e talvez os cursos me ajudem, como Docker, bancos não relacionais e Node.js.

Também gostaria de fazer alguns cursos de soft skills, como o de Negociação, por exemplo. Às vezes, sinto que faltam essas habilidades no meu dia a dia.

Além de aprender coisas novas, eu também gostaria de rever conceitos “base” que eu sinto que poderia absorver melhor, como estruturas de dados. Também tenho a pretensão de reler o Clean Code, dessa vez com mais calma e no meu tempo, podendo fazer anotações e resumos do que eu achar interessante. Quem sabe essa jornada não vira uns posts aqui no blog?

Também pretendo seguir com o espanhol (fé no pai que a fluência sai) e com a guitarra. Não vejo a hora de sair tocando minhas músicas emo por aí! 🤘

Um banner roxo, com um desenho de uma mulher sentada com um violão no colo, com o título em branco: "Hobbies - porque nem só de código vive a mulher"

2020

Ser obrigada a ficar em casa significa procurar mais coisas para passar o tempo. No ano de 2020, comecei diversos hobbies e devo dizer que alguns eu meio que deixei pra lá. Não digo que larguei 100% porque nunca se sabe, mas é só que não se tornaram prioritários. Outras oportunidades e prioridades surgiram, somente.

Em 2020, eu aprendi a fazer amigurumis e também me aventurei no desenho. Me diverti bastante com esses dois por algum tempo, porque eram maneiras de ocupar as minhas mãos e desanuviar a cabeça de uma pandemia de um vírus mortal. Mas depois de um tempo, eu deixei os dois para trás. Percebi que não eram tão minha praia assim – apesar de ainda ter o objetivo de fazer um baby Yoda de crochê.

Em 2020 também ganhei um ukulele, meu companheiro comprou um violão para ele e, agora no finzinho, consegui comprar a minha tão sonhada guitarra, com amplificador e tudo. Eu me divirto muito com o ukulele: sua curva de aprendizado é bem curta e seu som é uma gracinha. O violão eu já sabia tocar e quis me aprofundar, mas é mais difícil do que eu imaginava (o instrumento é muito grande!). E agora comecei com aulas de guitarra pela MusicDot e também vou pegando aqui e ali as músicas que eu gosto para tocar. Estou me divertindo bem mais!

Além dos instrumentos, outros hobbies que ficaram foi este blog e o RPG. Comecei com dois grupos esse ano e estou me divertindo um bocado! Também é uma maneira de não me sentir tão isolada nesses tempos de confinamento. Minha personagem nas duas mesas se chama Aivilo e é uma draconata monja porradeira. Sinto como se ela fosse o meu bebê 🥰

Um guitarra (cor sunburst) e um amplificador, lado a lado.
Esta é Helena, a guitarra, e Ray, o amp.

2021

Para 2021, eu pretendo continuar tocando guitarra. Tocar muito mesmo! Esse foi o instrumento que eu mais quis ter quando era adolescente e agora tá aqui (inclusive, na mesma cor que eu sonhava quando era novinha). Vou continuar fazendo as aulas e procurando as tablaturas das minhas músicas do coração. De pouquinho em pouquinho, vou chegar no nível do David Gilmour!

O RPG e o blog também vem comigo pra 2021. Uma das minhas mesas está quase para acabar, mas já vamos emendar outra aventura. E a outra mesa ainda tem chão pela frente. E quanto ao blog, sempre vai haver coisas para falar e tecnologias por descobrir. Quero continuar documentando e espalhando meu conhecimento para que outras pessoas possam crescer junto comigo.

E há outros três movimentos que comecei em 2020 e que vão seguir comigo em 2021, visto que têm me ajudado um bocado a cuidar não só da minha cabeça, mas também do meu corpinho: terapia, consultas com nutricionista e yoga. Esses três não são necessariamente hobbies, visto que não acontecem para preencher um tempo livre, mas foram iniciativas que decidi ter em 2020 e que me ajudaram a mudar aspectos que há muito estavam “travados” em mim. E vou fazer de tudo para que continuem mudando! ✨

Um banner roxo, com um desenho de uma mulher em pé, segurando um notebook e acenando para a câmera, com o título em branco: "Blog - documentando conhecimento"

2020

Em 2020 eu voltei com o meu blog! Quem me conhece sabe que escrever sempre foi uma paixão; e tenho que admitir que eu estava sentindo falta disso. Porém, eu não conseguia mais escrever aqueles textos mais pessoais, cheios de reflexões… Até hoje não consegui mais. Então pensei: por que não escrever sobre algo que eu faço todo dia? E aí surgiu a ideia de reformar este espaço e voltar a blogar sobre meus conhecimentos técnicos.

Quando esse blog surgiu, em 2018, ele surgiu mais por uma “pressão” do meio em que eu estava do que, de fato, por eu estar com vontade de escrever. Eu não quero entrar em detalhes aqui, mas o blog nasceu na tentativa de correr atrás de uns objetivos que não eram meus. Mas agora as coisas estão diferentes e eu sinto um verdadeiro carinho por este espaço; consequentemente, tudo vem de forma mais leve e não encaro mais tanto como uma obrigação, e sim como um trabalhinho extra que me deixa feliz.

De junho de 2020 até agora, eu escrevi um total de 26 posts novos! Acho que temos um recorde! Desses 26 posts, 6 deles fazem parte da primeira temporada da série Et Cetera, onde, em inglês, eu indico alguns conteúdos que consumi recentemente. Também dentro desses 26 posts, 6 deles são tutoriais – um em 3 partes sobre como consumir a API do Twitter com C#, um em duas partes sobre testes automatizados com Selenium e outro sobre testes de carga. Todos esses posts eu fiquei muito feliz em escrever e os fiz de coração, pensando que são coisas que eu gostaria de ter lido quando estava buscando sobre esses temas para resolver alguns problemas.

Ilustração de duas mãos escrevendo em um notebook, com um café de um lado e uma planta do outro

2021

Tá, eu confesso que se eu disser que tenho grandes planos pra cá, eu estarei mentindo 😅 Honestamente, eu já tenho tanta coisa para pensar e prever e planejar que o blog não está lá com toda essa bola não. Eu já disse em outro post que eu me recuso a tratar meus projetos pessoais como trabalho. Eu estou aqui para me divertir, para aprender, para me sentir bem… não quero nenhuma grande pressão ou cobrança, apesar de levar à sério.

Um dos planos que eu tenho é continuar com a frequência de posts quinzenais, e talvez mudar o dia dos posts da sextas para as segundas. Eu sinto que 15 dias é um tempo razoável que eu tenho para conseguir escrever de forma um pouco mais aprofundada sobre algum tema que eu esteja com vontade, sendo ele técnico ou não. Também tenho planos de fazer outras temporadas do Et Cetera, de uma forma mais organizada ou talvez temática. Estou pensando em começar a próxima em fevereiro, devido ao advento do meu aniversário 💁‍♀️

Tem algumas outras coisas que eu também gostaria de melhorar no blog, como adicionar uma página com o portfolio dos projetos e empresas da qual eu já trabalhei e também a internacionalização de algumas páginas do site… acho que seria importante e também seria bom para treinar os idiomas que eu já sei.

Ideias novas podem surgir à qualquer momento. Vamos ver até onde chegamos e o que estará escrito na retrospectiva de 2021! 🤘

Um banner roxo, com um desenho de uma mulher ouvindo música e dançando, com o título em branco: "Diversão - pra que tanto serviço de streaming, né?"

2020

Já diria a poeta Cyndi Lauper: when the working day is done, girls just wanna have fun! E realmente, tem dias que eu só quero me afogar em algum serviço de streaming e maratonar alguma série que talvez eu já tenha visto. Assim sendo, decidi aproveitar esse espaço para enaltecer o que eu mais gostei de ler/ver/assistir/ouvir pra relaxar – bem como pra trabalhar, afinal de contas, às vezes a sua banda favorita te ajuda a codar que é uma beleza, não?

🎶 Música

Esse ano eu ouvi muito My Chemical Romance, uma das bandas que eu mais amo desde adolescente, para me preparar para o show que não rolou 😅 Também escutei muito o álbum da Beyoncé, The Lion King: The Gift [Deluxe Edition], zero defeitos nessa preciosidade. E descobri a banda Mägo de Oz, com músicas meio medievais em espanhol, ótimo para praticar o que eu vou aprendendo nas aulas!

🎬 Filmes

Os dois filmes que mais marcaram meu 2020 foram sobre histórias que nem sempre a gente vê – ou talvez até veja, mas não da perspectiva apresentada: Bacurau e Black Is King. Duas obras de artes inacreditáveis, a primeira acolhendo a alma, sendo uma história brasileira, e a segunda me emocionando horrores através de uma fábula com um toque futurista.

📺 Séries

Eu chorei de rir com Workin’ Moms e The Office, embora não tenha acabado nenhuma das duas ainda. Nesse ano, também, a minha série favorita, Dark, teve fim e eu confesso que fiquei um pouco triste, porque gostaria de ver mais, apesar de achar que qualquer extra que tivesse seria um pouco too much. E a cereja do bolo de 2020 foi Lovecraft Country! Melhor história, melhores personagens, melhor suspense. Nunca vi uma série ser tão perfeitinha e fechadinha.

🔊 Podcasts

O true crime venceu esse ano – Projeto Humanos e Praia dos Ossos foram as melhores coisas que eu escutei em 2020. Fiquei muito feliz do primeiro finalmente ter chegado em um final, embora eu tenha algumas ressalvas sobre certas escolhas feitas em prol da narrativa. O segundo também serviu bastante para me irritar e esclarecer sobre como a justiça brasileira pode ser terrível com casos de mulheres que “ameaçam a honra” dos homens.

🎮 Jogos

Com um computador decente, pude jogar The Sims pra caramba, com vários dos pacotes de expansão que eu sempre quis ter mas nunca tive muito dinheiro nem processamento para comprar 😅 Também gastei um bocado de tempo no Among Us, porque ô joguinho divertido hein? No Nintendo Switch eu me concentrei em Animal Crossing (que confesso não ter muita paciência, mas é divertido pra jogar casualmente) e no remaster de Spyro, que eu queria jogar desde antes de anunciarem que seria remasterizado. Também realizei o sonho de infância de começar a jogar Magic: The Gathering esse ano. Muito gostoso colecionar as cartinhas e sair batalhando unicamente contra o meu companheiro 🤣

Imagem do #MeuSpotify2020, com os meus top artistas mais ouvidos (My Chemical Romance, Rammstein, Pabllo Vittar, Beyoncé e Fall Out Boy), minhas músicas mais ouvidas (Welcome to the Black Parade, I don't love you, The end, Teenagers e Helena), a quantidade de minutos escutados (40463) e meu gênero musical favorito (Funk Carioca).

2021

Olha, eu confesso que, no quesito diversão, eu sou mais freestyle, o que vai aparecendo, eu vou fazendo 😅 Eu tenho alguns planos mas nada muito obrigatório não… Deus me defenda transformar minha diversão em metas, em obrigações, eu quero é ficar de boa!

Dito isso: eu gostaria de ler mais em 2021. Eu era a típica adolescente devoradora de livros, lia trocentas coisas em um ano… agora rapidinho eu pego no sono 😴 Quero me esforçar para ler mais, especialmente os livros da Svetlana Alexievitch, que eu considero minha escritora favorita. Na feira do livro de Lisboa, consegui comprar todos os outros livros que eu não tinha e ficou tão lindo na minha estante!

Também estou um pouco ansiosa para ouvir o possível novo álbum do Rammstein. Eles tinham planejado a segunda “volta” da turnê em 2020, mas como não rolou, eles foram para o estúdio. Fico muitíssimo empolgada com uma notícia dessa, visto que somente em 2019 eles lançaram um álbum para quebrar o jejum de 10 anos sem algo inédito. Queremos mais, por favor!

E, se por ventura, na melhor das hipóteses, tivermos vacina e algum vislumbre da vida normal, eu quero poder ir nos shows que me foram adiados: My Chemical Romance, em Londres, e System of a Down, aqui em Oeiras. Eu estava muito empolgada para ambos e realmente gostaria que pudessem acontecer em 2021, em um cenário seguro para os músicos e para os fãs.

Um banner roxo, com um desenho de uma mulher lendo um papel defronte à um computador, com o título em branco: "Código - quem programa, seus males espanta?"

2020

Esse ano eu codei bastante, no trabalho e em casa. Minhas férias tinham viagens planejadas, mas o coronavírus fez questão de me fazer ficar em casa, e com isso, projetos pessoais surgiram.

No trabalho, além de implementar muitas regras de negócio (sistemas governamentais 🤷‍♀️), eu também escrevi muitos testes. Muitos mesmo, de vários tipos. E eu fiquei muito orgulhosa disso porque é a primeira vez que eu posso levantar os cenários de testes da maneira que eu creio ser a mais correta e escrevê-los com tempo de os aprimorar até o melhor possível. Isso me dá uma satisfação tremenda. Desse trabalho, surgiram dois dos tutoriais que eu escrevi aqui para o blog, o de testes automatizados com Selenium e o de testes de carga no Visual Studio. Foi muito gostoso documentar esses processos – e já precisei mais de uma vez voltar aqui para conferir como eu tinha feito alguma coisa 😅

Fora do trabalho, eu consegui concluir o principal objetivo de dois projetos pessoais (não vou dizer que eles estão terminados porque ainda faltam umas coisinhas). O Hey, Pepita bot eu comecei no ano passado mas só esse ano consegui sentar e estudar melhor a documentação do Telegram, e com isso terminar o seu desenvolvimento. Com ele, também aprendi mais sobre a API do Twitter, e com isso nasceu um tutorial em três partes sobre como consumi-la com o C#.

Além de um bot em C#, também construí uma aplicação para poder conjugar verbos em espanhol de maneira mais automatizada – porque eu acho um saco ficar escrevendo os pronomes antes 😅 Com isso, nasceu o Automatizador de Pronombres, feito com Javascript, aplicando os conhecimentos de um curso de Javascript avançado que comecei e concluí ainda nesse ano.

Você pode conferir o código desses dois projetos no meu GitHub.

2021

Em 2021 eu não digo que quero codar mais que em 2020, mas gostaria de codar melhor. E creio que, através dos meus estudos, estou aprendendo como aprimorar essa habilidade.

Não sei muito bem o que esperar relacionado ao meu trabalho, mas, em relação aos projetos pessoais, tem um em especial que eu gostaria de desenvolver no ano de 2021, caso eu siga sem poder cruzar fronteiras: um aplicativo em Node.js que possa ser usado como um feed de notícias da minha família para a minha vó. Acho que ela ia gostar bastante e eu queria que, além de funcionar, esse feed tivesse uma interface bem fácil para uma senhorinha de 89 anos conseguir mexer com pouca ajuda. Vamos ver se consigo concluir esse projeto!

Outras ideias podem surgir, mas por enquanto só há essa. Pretendo trabalhar bastante para que se torne real!


Ok, esse post ficou maior do que eu imaginava… Possivelmente poucas pessoas vão chegar até o final 😅 Mas tá tudo bem. Eu sei que, em um futuro, talvez eu queira passar por aqui de novo e revisitar as minhas conquistas no ano de 2020 e o que eu esperava para 2021. Documentar processos tem sido cada vez mais importante pra mim, e se você quiser vir comigo, vai ser sempre mais divertido!

E você? Como foi seu 2020? E como você quer que seja seu 2021? Conta pra mim! 😎


📜 Posts relacionados

📣 Minhas dicas para aprender novos idiomas

💁‍♀️ Como não ficar ansiosa programando


💌 Recadinhos

Gostou do texto? Tem algo a adicionar? Alguma crítica construtiva? Feedbacks? Sugestões? Pedidos? Fique à vontade para me contatar via email (oli.pmatt@gmail.com), Twitter (@oliviamattiazzo), LinkedIn (/oliviamattiazzo) ou pela caixa de comentários aqui embaixo! Vai ser um prazer conversar contigo! ✨

Novidades!

Eu tenho uma série de posts semanais! Eu tinha pensado em fazer uma newsletter, mas confesso que fiquei com medinho de ninguém querer ler 😅 Essa série de posts atende pelo nome Et Cetera, e é um resumo dos conteúdos que eu consumi naquela semana (ou antes) e que eu gostaria muito de indicar, para que você também consumisse. Ah, e tudo isso em inglês, porque eu estava precisando muito praticar. O post mais recente foi ao ar dia 21/12/2020 e você pode acessá-lo neste link. E fique à vontade para me mandar feedback ou sugestões! 💕

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.